20 de mai de 2009

Perdeu

pariu cuspiu expeliu
um deus um bicho um homem

brotou alguém algum, ninguém
o quê?, a quem

surgiu vagiu sumiu escapuliu
no som, no sonho, somem

são cem, são mil, são cem mil, milhão
do mal, do bem, lá vem um

olhos vazios de mata escura e mar azul
ai, dói no peito aparição assim
vai na alvorada-manhã
sai do mamilo marrom o leite doce e sal

tchau, mamãe, valeu

cresceu, vingou, permaneceu, aprendeu
nas bordas da favela
mandou, julgou, condenou, salvou,
executou, soltou, prendeu

colheu, esticou, encolheu,
matou, furou, fodeu
até ficar sem gosto

ganhou, reganhou, bateu, levou
mamãe perdeu perdeu perdeu

céu mar e mata mortos da luz desse olhar
antes assim do que viver pequeno e bom
não, diz isso não, diz isso não
a conta é outra tem que dar, tem que dar
foi mal, papai, anoiteceu

brilhou, piscou, bruxuleou,
ardeu, resplandeceu, a nave da cidade
o sol se pôs depois nasceu e nada aconteceu

(Caetano Veloso)




O cd novo do Caetano, "Zii e Zie", é ótimo. Tô curtindo. Muito. Demais. Imensamente.
Essa canção me diz coisas além e isso é bom e importante e próprio da poesia que encanta. A mim.

Nenhum comentário:

Blog Widget by LinkWithin