24 de jun de 2010

Poker Face - Glee Version [With Lyrics]

Tim Maia - Telefone



- Alô
- Alô
- Quem fala ?
- Sou eu, amor. Você não se lembra mais da minha voz ?
- Mas essa hora da manhã ?
- Ah, eu queria tanto te ver
- Às quatro horas da manhã ?
- Ah, eu não consigo dormir, eu preciso te ver

Eu bem que te avisei
Pra não levar a sério
O nosso caso de amor.
Eu sempre fui sincero e você sabe muito bem.

Eu bem que te avisei pra não levar a sério
O nosso caso de amor
Eu sempre fui sincero e você sabe muito bem.
Eu não te prometi nada.
Não venha me cobrar por esse amor,
Pois esse sentimento eu não tenho pra te dar

Sinto muito em te dizer, vê se tenta esquecer.
Os momentos que passamos que juntinhos nos amamos
Leve um beijo e adeus.

(Nelson Kaê / Beto Correa)

Tim Maia - Sofre



É engraçado
A gente ama, troca juras de amor,
promete nunca se separar.
A gente deposita uma confiança
tão grande na pessoa amada,
que jamais você poderia imaginar
que a pessoa que você quer tanto
esteja lhe traindo de uma maneira
tão fria e suja.
A dor que você sente é tanta,
que às vezes você deseja até morrer.
E desta dor nasce um ódio, um rancor,
uma espécie de vingança,
que eu agora vou cantar.

Não vou mais chorar,
mas se eu chorar
vai ser baixinho pra ninguém me ver
O quanto eu sofro, pois amei você.

E vou seguir meu caminho triste
Como antes de te conhecer
Porem marcado, humilhado, magoado.
Pode ver.

Você foi mulher
Se isso é ser mulher
Está enganada, pois não é não.
Isto foi pura podridão

Se valeu do sentimento puro
e belo que eu tinha por você
para fazer as suas crueldades e maldades
Sem perdão.

Agora Sofre
Sofre
Todo mal que cê me fez
Você bem cedo irá pagar!

Disse a todo mundo eu que era o mal
E, no entanto foi você quem riu.
E quem me fez penar!

Agora Sofre
Sofre
Todo mal que cê me fez
Você bem cedo ira pagar!

(Tim Maia)


22 de jun de 2010

Zizi Possi - Dedicado a Você




Vem,
Se eu tiver você no meu prazer
Se pudesse ficar com você
Todo o momento, em qualquer lugar
Ah!
Se no desejo você fosse o amor
Durante o frio fosse o calor
Na minha lua, você fosse o mar
Vem, meu coração se enfeitou de céu
Se embebedou na luz do teu olhar
Queria tanto ter você aqui!
Ah! Se teu amor fosse igual ao meu
Minha paixão ia brilhar, e eu
Completamente ia ser feliz!

(Dominguinhos - Nando Cordel)

Zizi Possi - Contrato de Separação



Olha, essa saudade
Que maltrata o meu peito
É ilusão
E por ser ilusão é mais difícil de apagar

Ela vai me consumindo lentamente
Ela brinca com meu peito
E leva sempre a melhor

Eu quis fazer com ela um contrato de separação
Negou-se, então, a aceitar
Sorrindo da minha ilusão

Só tem um jeito agora
É tentar de vez me libertar
Brigar com a lembrança
Pra não mais lembrar

(Dominguinhos - Anastácia)

20 de jun de 2010

A descoberta do mundo

O que eu quero contar é tão delicado quanto a própria vida. Eu quereria poder usar a delicadeza que também tenho em mim, ao lado da grossura de camponesa que é o que me salva.
Quando criança, e depois adolescente, fui precoce em muitas coisas. Em sentir um ambiente, por exemplo, em apreender a atmosfera íntima de uma pessoa. Por outro lado, longe de precoce, estava em incrível atraso em relação a outras coisas importantes. Continuo aliás atrasada em muitos terrenos. Nada posso fazer: parece que há em mim um lado infantil que não cresce jamais.
Até mais que treze anos, por exemplo, eu estava em atraso quanto ao que os americanos chamam de fatos da vida. Essa expressão se refere à relação profunda de amor entre um homem e uma mulher, da qual nascem os filhos. Ou será que eu adivinhava mas turvava minha possibilidade de lucidez para poder, sem me escandalizar comigo mesma, continuar em inocência a me enfeitar para os meninos? Enfeitar-me aos onze anos de idade consistia em lavar o rosto tantas vezes até que a pele esticada brilhasse. Eu me sentia pronta, então. Seria minha ignorância um modo de me manter ingênua para poder continuar, sem culpa, a pensar nos meninos? Acredito que sim. Porque eu sempre soube de coisas que nem eu mesma sei que sei.
As minhas colegas de ginásio sabiam de tudo e inclusive, contavam anedotas a respeito. Eu não entendia mas fingia compreender para que elas não me desprezassem e à minha ignorância.
Enquanto isso, sem saber da realidade, continuava por puro instinto a flertar com os meninos que me agradavam, a pensar neles. Meu instinto precedera a minha inteligência.
Até que passados os treze anos, como se só então eu me sentisse madura para receber alguma realidade que me chocasse, contei a uma amiga íntima o meu segredo: que eu era ignorante e fingira de sabida. Ela mal acreditou, tão bem eu havia antes fingido. Mas terminou sentindo minha sinceridade e ela própria encarregou-se ali mesmo de me esclarecer o mistério da vida. Só que também ela era uma menina e não soube falar de um modo que não ferisse a minha sensibilidade de então. Fiquei paralisada olhando para ela, misturando perplexidade, terror, indignação, inocência mortalmente ferida. Mentalmente eu gaguejava: mas por quê? mas para quê? O choque foi tão grande – e por uns meses traumatizantes – que ali mesmo na esquina jurei alto que nunca iria me casar.
Embora meses depois esquecesse o juramento e continuasse com meus pequenos namoros.
Depois, com o decorrer de mais tempo, em vez de me sentir escandalizada pelo modo como uma mulher e um homem se unem, passei a achar esse modo de uma grande perfeição. E também de grande delicadeza. Já então eu me transformara numa mocinha alta, pensativa, rebelde, tudo misturado a bastante selvageria e muita timidez.
Antes de me reconciliar com o processo da vida, no entanto, sofri muito, o que poderia ter sido evitado se um adulto responsável se tivesse encarregado de me contar como era o amor. Esse adulto saberia como lidar com uma alma infantil sem martirizá-la com a surpresa, sem obrigá-la a ter toda sozinha que se refazer para de novo aceitar a vida e os seus mistérios.
Porque o mais surpreendente é que, mesmo depois de saber de tudo, o mistério continuou intacto. Embora eu saiba que de uma planta brota uma flor, continuo até hoje surpreendida com os caminhos secretos da natureza. E se continuo até hoje com pudor não é porque ache vergonhoso, é pudor apenas feminino.
Pois juro que a vida é bonita.

(Clarice Lispector. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro, Rocco, 1999. p. 113-115)

13 de jun de 2010

Jorge Ben Jor e Mano Brown | Umbabarauma




Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol

Joga bola, joga bola
Corocondô
Joga bola, joga bola
Jogador

Pula, pula, cai, levanta
Sobe, dece, corre, chuta
Abra espaço
Vibra e agradece

Olha que a cidade
Toda ficou vazia
Nessa tarde bonita
Só pra te ver jogar

Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol

Joga bola jogador
joga bola corocondô
Joga bola jogador
joga bola corocondô

Rere, rere, rere jogador
Rere, rere, rere corocondô
Rere, rere, rere jogador
Rere, rere, rere corocondô

Tererê, tererê, tererê, tererê
Tererê homem gol
Tererê, tererê, tererê, tererê
Tererê homem gol

Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol
Umbabarauma homem-gol

Essa é a história de Umbabarauma
Um ponta de lance africando
Um ponte de lance decidido
Umbabarauma

Ponta de lança africano
(Jorge Ben Jor)

Homenagem a Santo Antônio

11 de jun de 2010

Chico Buarque | Futuros Amantes

Sem você

Sem você, sem amor
É tudo sofrimento
Pois você é o amor
Que eu sempre procurei em vão

Você é o que resiste
Ao desespero e à solidão
Nada existe
E o mundo é triste sem você

Meu amor, meu amor
Nunca te ausentes de mim
Para que eu viva em paz
Para que eu não sofra mais

Tanta mágoa assim, no mundo
Sem você

(Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes)

10 de jun de 2010

Do fundo do meu coração

Eu, cada vez que vi você chegar,
Me fazer sorrir e me deixar
Decidido, eu disse nunca mais
Mas, novamente estúpido provei
Desse doce amargo quando eu sei
Cada volta sua o que me faz

Vi todo o meu orgulho em sua mão
Deslizar, se espatifar no chão
Vi o meu amor tratado assim
Mas, basta agora o que você me fez
Acabe com essa droga de uma vez
Não volte nunca mais pra mim

Mais uma vez aqui
Olhando as cicatrizes desse amor
Eu vou ficar aqui
E sei que vou chorar a mesma dor

Agora eu tenho que saber
O que é viver sem você

Eu, toda vez que vi você voltar,
Eu pensei que fosse pra ficar
E mais uma vez falei que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

Mais uma vez aqui
Olhando as cicatrizes desse amor
Eu vou ficar aqui
E sei que vou chorar a mesma dor

Se você me perguntar se ainda é seu
Todo o meu amor, eu sei que eu
Certamente vou dizer que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

(Roberto Carlos & Erasmo Carlos)




9 de jun de 2010

Liza Minnelli | But the world goes around

Sometimes you're happy, sometimes you're sad
But the world goes 'round
Sometimes you lose every nickel you had
But the world goes 'round

Sometimes your dreams get broken in pieces
But that doesn't alter a thing
Take it from me, there's still gonna be
A summer, a winter, a fall and a spring

And sometimes a friend starts treating you bad
But the world goes 'round
And sometimes your heart breaks with a deafening sound

Somebody loses and somebody wins
And one day it's kicks, then it's kicks in the shins
But the planet spins, and the world goes 'round-
But the world goes 'round
But the world goes 'round

Sometimes your dreams get broken in pieces
But that doesn't matter at all
Take it from me, there's still gonna be
A summer, a winter, a spring and a fall

And sometimes a friend starts treating you bad
But the world goes 'round
And sometimes your heart breaks with a deafening sound

Somebody loses and somebody wins
Then one day it's kicks, then it's kicks in the shins
But the planet spins, and the world goes 'round
And 'round and 'round and 'round and 'round
The world goes 'round and 'round and 'round
And 'round!

(Fred Ebb e John Kander)








==============

Amém

Eartha Kitt | C'est Si Bon (Live Kaskad 1962)

C'est si bon,
De partir n'importe où,
Bras dessus bras dessous,
En chantant des chansons,

C'est si bon,
De se dire des mots doux,
De petit rien du tout,
Mais qui en disent long.

En voyant notre mine ravie
Les passants dans la rue, nous envient

C'est si bon,
De guetter dans ses yeux
Un espoir merveilleux
Qui donne le frisson
C'est si bon
Cette petite sensation
ça vaut mieux qu'un million
C'est tellement tellement bon

Hum, c'est bon
Voilà c'est bon
Les passants dans la rue
Bras dessus bras dessous
En chantant des chansons
Quel espoir merveilleux

Hum, c'est bon
Je cherche un millionnaire
Avec des grands "Cadillac car"
"Mink coats"
Des bijoux
Jusqu'au cou, tu sais

Hum, c'est bon
Cette petite sensation
Ou peut-être quelqu'un avec un petit yacht, non ?
Ah C'est bon
C'est bon, C'est bon
Vous savez bien que j'attends quelqu'un
qui pourrait m'apporter beaucoup de luxe
Ce soir, demain, la semaine prochain(e)
N'importe quand
Hum, c'est bon
C'est bon
Il sera très crazy, non ?
Voilà, c'est tellement bon !

(Henri Betti - André Hornez)



Eartha Kitt | All by myself / Life made me beautiful at forty

When I was young
I never needed anyone
And making love was just for fun
Those days are gone
Livin'alone
I think of all the friends I've known
When I dial the telephone
Nobody's home

All by myself
Don't wanna be
All by myself
Anymore

Hard to be sure
Sometimes I feel so insecure
And loves so distant and obscure
Remains the cure

All by myself
Don't wanna be
All by myself
Anymore
All by myself
Don't wanna live
All by myself
Anymore

When I was young
I never needed anyone
And making love was just for fun
Those days are gone

All by myself
Don't wanna be
All by myself
Anymore
All by myself
Don't wanna live
Oh
Don't wanna live
By myself, by myself
Anymore
By myself
Anymore
Oh
All by myself
Don't wanna live
I never, never, never
Needed anyone

(Eric Carmen)



I've been through clouds and stormy skies
On different worlds, all filled with lives
I've travelled through the steams of lovers
And wiped my tears upon their covers
I've lived a life of rogue and queen
And died my hair to fit the scene
I've had my ups, I've had my downs
And sipped champagne with worldly crowns
I've been as honest as I could
And ashamed, the shame that knows I should
I've been loved and I've been lied to
And found a few shoulders I could cry to
And all those years I thought life naughty, ah-hah
Should make me beautiful at forty

For life's not been so bad to take
For now I've cut life's golden cake
Into a million tiny squares
And with each piece recall the years
The taste of life has not been so bad
Between the tears and joys I've had
But with some good and a little singing
She always allowed me to get a grin
And all those years I've spent on my youth
Thinking knowledge brought the truth
I know life has her games to play
And puzzles it, crackling play
So, graves are dug and wars are lost
But life goes on at any cost

I do think life has made me wiser
So there is no reason to disguise her
Even tried to rearrange her
She has been fair, I would not change her, hah-hum
She presents me life so simply
In a cup that's almost empty
With a little wine to tease me
But not enough to really please me
And if I drink, and let her take me
She is wise enough to wake me
But only after dreams and visions
Allowing me to see these decisions, ah-hah
All those years I thought life naughty
She made me beautiful at forty

(Eartha Kitt / Joachim Kühn)








===================

SIMPLY... BEAUTIFUL.

7 de jun de 2010

Pato Fu - Live And Let Die (Paul & Linda McCartney)

Poema dos olhos da amada

Ô bien-aimée, quels yeux tes yeux
Embarcadères la nuit, bruissant de mille adieux
Des digues silencieuses
Qui guettent les lumières
Loin… si loin dans le noir
Ô bien-aimée, quels yeux… tes yeux
Tous ces mystères dans tes yeux
Tous ces navires, tous ces voiliers
Tous ces naufrages dans tes yeux
Ô ma bien-aimée aux yeux païens
Un jour, si Dieu voulait
Un jour… dans tes yeux
Je verrais de la poésie, le regard implorant
Ô ma bien-aimée, quels yeux… tes yeux

Ó minha amada
Que olhos os teus
São cais noturnos
Cheios de adeus
São docas mansas
Trilhando luzes
Que brilham longe
Longe dos breus...
Ó minha amada
Que olhos os teus
Quanto mistério
Nos olhos teus
Quantos saveiros
Quantos navios
Quantos naufrágios
Nos olhos teus...
Ó minha amada
Que olhos os teus
Se Deus houvera
Fizera-os Deus
Pois não os fizera
Quem não soubera
Que há muitas era
Nos olhos teus.
Ah, minha amada
De olhos ateus
Cria a esperança
Nos olhos meus
De verem um dia
O olhar mendigo
Da poesia
Nos olhos teus.

(Paulo Soledade / Vinicius de Moraes)

Versão/adaptação: Jeanne Moreau e Dominique Dreyfus



5 de jun de 2010

4 de jun de 2010

Thiago Pethit e Tiê - Essa Canção Francesa



Essa Canção Francesa

Ma belle amie
Je sais que tu viens
Que tu viens pour dire
Malgré ton désir
Que tu es ma lover
Oui, je suis ta lover
Car quand il est neuf heures
Moi je dois partir
Je fais semblent de dormir
Pour pouvoir retrouver
Tes mots secrets
Tes mots d'amour
Sous l'oreiller

C'est ma chanson française pour toi
Les rimes hesitent mais pardonne-moi
Je n'ai pas ta classe, ni ta cadence
Pour dire des mots d'amour
Comme en France

Je suis ta lover
Oui, tu es ma lover
Car quand il est neuf heures
Toi tu dois partir
Tu fais semblent de dormir
Pour pouvoir retrouver
Mes mots secrets
Mes mots d'amour
Sous l'oreiller

C'est ma chanson française pour toi
Les rimes hesitent mais pardonne-moi
Je n'ai pas ta classe, ni ta cadence
Pour dire des mots d'amour
Comme en France

Mon amour
Mon amour
Je veux que tu viennes toujours
Mon amour
Mon amour
Ton poème sous l'abatjour
Mon amour
Mon amour
Mon coeur qui bat comme un tambour
Mon amour
Mon amour
Si doux comme un petit-four
Mon amour
Mon amour
On se trouve dans en carrefou

(Música/Song: Thiago Pethit - Letra/Lyrics: Rafael Barion)

Billie Holiday - Speak Low




Speak low
When you speak, love
Our summer day withers away
Too soon, too soon
Speak low
When you speak, love
Our moment is swift,
Like ships adrift,
We're swept apart, too soon
Speak low, darling, speak low
Love is a spark, lost in the dark
Too soon, too soon
I feel wherever I go
That tomorrow is near,
Tomorrow is here
And always too soon
Time is so old and love so brief
Love is pure gold and time a thief
We're late, darling, we're late
The curtain descends,
Ev'rything ends
Too soon, too soon
I wait, darling, I wait
Will you speak low to me,
Speak love to me
And soon

(Kurt Weill / Ogden Nash)


Thiago Pethit - "Low Lights" - Trama/Radiola

Diane Reeves - Do Nothin' Till You Hear From Me




(Edward "Duke" Ellington, Bob Russell)


Do nothing till you hear from me,
Pay no attention to what's said.
Why people tear the seams of anyone's dreams
Is over my head.


Do nothing till you hear from me,
At least consider our romance.
If you should take the words of others you've heard,
I haven't a chance.


True, I've been seen with someone new,
But does that mean that I've been untrue?
When we're apart,
The words in my heart
Reveal how I feel about you.


Some kiss may cloud my memories,
And other arms may hold a thrill,
But please, do nothing till you hear it from me--
And you never will.


~interlude~


Some kiss may cloud my memories,
And other arms may hold a thrill,
But please, do nothing till you hear it from me--
And you never will.

Dianne Reeves - The Man I Love

Lizz Wright, Dianne Reeves & Simone - Four Women (NSJ '09)

Blog Widget by LinkWithin