27 de nov de 2009

Som Brasil PAULINHO DA VIOLA

“Coração Leviano”




“Argumento”




“Timoneiro”




“Recado”




“Sinal Fechado”




“Pecado Capital”




“Foi um rio que passou em minha vida”





”Só o Tempo”




“Jurar com Lágrimas”




“Dança da Solidão”




“Onde a dor não tem razão”






“Bebadosamba”

A Noite do Meu Bem

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
quero a primeira estrela que vier
para enfeitar a noite do meu bem

Hoje eu quero paz de criança dormindo
quero o abandono de flores se abrindo
para enfeitar a noite do meu bem

Quero a alegria de um barco voltando
quero ternura de mãos se encontrando
para enfeitar a noite do meu bem

Hoje eu quero o amor, o amor mais profundo
eu quero toda beleza do mundo
para enfeitar a noite do meu bem

Mas como esse bem demorou a chegar
eu já nem sei se terei no olhar
toda ternura que eu quero lhe dar

(Dolores Duran)

26 de nov de 2009

No Escuro

Se você não me quiser
Eu vou respeitar
Eu juro
Como alguém que apaga a luz
Mas tem seu altar
No escuro

E no decorrer dos meses
Já não sei mais quem eu sou
E a pessoa
Refletida
No espelho
Dos seus olhos
Por onde foi que entrou?

Mas se você não me quiser
Eu vou respeitar
No duro
Mas saiba que sou um homem só
E que o meu amor
É puro

E se você não me quiser
Eu vou respeitar
Isso é seguro
Mas um dia foi você
Que soube apontar
Um futuro pra nós

(Marina Lima / Antônio Cícero)

Criança

Vou
Vou levar
O tempo que for
Vou
Vou levar
Até desvendar caminhos e ver
Como eu chego em você

Vou
Vou levar
Até descobrir
Onde está
O mapa da mina

Eu sei (eu sei)
Criança, eu sei
Mas se você disser
Que quer
Eu tô quase lá...

Vou
Vou levar
O tempo que for
Vou
Vou levar
Até decifrar segredos e ser
O que eu desejo pra você

Vou
Vou levar
Até conseguir
Alcançar
A sua inocência

Eu sei (eu sei)
Criança, eu sei
Mas se você disser
Que quer
Eu vou adorar

(Marina Lima)

O Chamado

Vou seguir o chamado
E onde é que vai dar, onde é que vai dar?
Não sei...

Arriscar ser derrotado
Por mentiras que vão
Mentiras que vêm punir

Um coração cansado de sofrer
E de amar até o fim
Acho que vou desistir

Céu abriga o recado
Que é pra eu me guardar
Mudanças estão por vir

Esperar ser proclamado
O grande final,
O grande final feliz!

Que tal aquele brinde que faltou?
Será que teria sido assim?
Acho que vou resistir

Que tal aquele brinde que faltou?
Será que teria sido assim?
Acho que vou resistir...
Onde é que vai dar?
Onde é que vai dar?

(Marina Lima / Giovanni Bizzotto)

À Meia Voz

Me diz o que é que foi
Pra você se magoar assim
Confessa aqui pra mim
Me diz onde é que dói
Será que ainda vou ser
Seu ninho de prazer?
Melhor pagar pra ver...

Me diz o que é que eu fiz
Pra te fazer infeliz assim
Soletra aqui pra mim
Me diz à meia voz
Prometo não contar
Promessas não dão mais...
Confessa e sela a paz

Meu bem não lhe darei
Um céu sem dor nem lei
Mas aceite esta canção
Que fiz pra te alegrar
Debaixo desse véu
Assim à meia-luz
Só há você e eu...

(Marina Lima/ Antonio Cícero)

21 de nov de 2009

7 de nov de 2009

O Mundo

O mundo é pequeno pra caramba
Tem alemão, italiano e italiana
O mundo filé milanesa
Tem coreano, japonês e japonesa
O mundo é uma salada russa
Tem nego da Pérsia, tem nego da Prússia
O mundo é uma esfiha de carne
Tem nego do Zâmbia, tem nego do Zaire
O mundo é azul lá de cima
O mundo é vermelho na China
O mundo tá muito gripado
O açúcar é doce, o sal é salgado
O mundo caquinho de vidro
Tá cego do olho, tá surdo do ouvido
O mundo tá muito doente
O homem que mata, o homem que mente
Por que você me trata mal
Se eu te trato bem
Por que você me faz o mal
Se eu só te faço o bem
Todos somos filhos de Deus
Só não falamos as mesmas línguas
Todos somos filhos de Deus
Só não falamos as mesmas línguas

(André Abujamra)

Ney Matogrosso e Pedro Luis e a Parede


Cabide

Se eu fingir e sair
Por aí na noitada
Me acabando de rir
Se eu disser que não digo
E não ligo e que fico
Só vou aprontar...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua saia
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu sumir dos lugares
Dos bares, esquinas
E ninguém me encontrar
E se me virem sambando
Até de madrugada
E você for até lá...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar tua blusa
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Chega de fazer fumaça
De contar vantagem
Quero ver chegar junto
Prá me juntar, eh!
Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e a alma
Me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mi'léguas
Sem descansar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu fingir e sair
Por aí na noitada
Me acabando de rir
E se eu disser que não digo
E não ligo e que fico
E que só vou aprontar...

É que eu mando direitinho
Assim bem miudinho
Sei que você vai gostar
Vou arrancar tua blusa
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu fingir e sair
Por aí na noitada
Me acabando de rir
Se eu disser que não digo
E não ligo, que fico
Só vou aprontar...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua saia
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu sumir dos lugares
Dos bares, esquinas
E ninguém me encontrar
E se me virem sambando
Até de madrugada
E você for até lá...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar tua blusa
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai me encarar...

Chega de fazer fumaça
De contar vantagem
Quero ver chegar junto
Prá me juntar, eh!
Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e a alma
Me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mil léguas
Sem descansar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu fingir e sair
Por aí na noitada
Me acabando de rir
Se eu disser que não digo
E não ligo e que fico
E que só vou aprontar...

É que eu mando direitinho
Assim bem miudinho
Sei que você vai gostar
Vou arrancar tua blusa
E por no meu cabide
Só prá pendurar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai me encarar...

Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar
Quero ver
Se você tem atitude
Se vai me encarar...

(Ana Carolina)

Mart'nália

1 de nov de 2009

Mais do mesmo. Sempre.

Como tudo é cíclico, um novo ciclo começa. Começa hoje, primeiro dia. Mas também a cada minuto ou cada segundo, instantânea e incessantemente. Dolorosamente.
Há um peso grande sobre todo o corpo, um peso físico que parece mínimo, do ar quente e úmido e o maior de todos e invisível e impalpável: o da infelicidade. Por ser assim intangível, esse peso imenso muitas vezes inexiste, o que é ótimo; porém, ele apenas se esconde. Ele está. Sempre.
Eu tenho um cansaço tão grande das coisas e um desejo tão vil de esquecê-las, nublá-las, pulverizá-las num sorriso ou então numa lágrima grossa, vasta como a lava ardente. Um rio de fogo brilhando na noite. Destesto o sol...
Talvez devesse contar uma história agora, tudo concatenado, visivelmente claro ou com sentido mais preciso; mas se assim fosse, eu não seria. Não seria assim. Nem estaria. Assim. Sempre.

(a.l.k.)

No me dejes de querer

No Me Dejes De Querer
Nunca quiero ni pensar
que tus ojos me dejen de ver
No encontrarás amor
que como yo te sea siempre fiel
(Júrame) Que me veré siempre en tus ojos
(Bésame) Con tus labios dulces
(Sabor a miel) Que a tu lado sólo quiero estar
(Y no hay quien) Me llene de tanta ternura
(Con tu amor) Quiero llegar hasta la luna
(Escúchame) No me dejes de querer
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Que sólo, sólo, sólo yo vivo por tu querer
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Que triste, triste me pongo
cuando no estás a mi lado en la noche
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Sólo vivo por tu amor,
no me hace falta más que tu querer
(Sólo te pido no me dejes de querer)
No, no, no me dejes de querer
No me dejes de querer
(Júrame) Que me veré siempre en tus ojos
(Bésame) Con tus labios dulces
(Sabor a miel) Que a tu lado sólo quiero estar
(Y no hay quien) Me llene de tanta ternura
(Con tu amor) Yo puedo llegar hasta la luna
(Escúchame) No me dejes de querer
(Sólo te pido, sólo te pido no me dejes de querer)
Que no me dejes, no me dejes, no me dejes de querer
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Que tú sabes que yo vivo por tu piel
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Que cuando estoy pensando en ti mira,
me siento muy feliz
Y me siento bien
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Ay, no me dejes (de querer)
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Quiero estar contigo juntitos hasta el amanecer
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Y ahora pa' que lo goces bien,
escúchalo con Teddy Mulet
(Sólo te pido no me dejes de querer)
(Sólo te pido no me dejes de querer)
Sólo te pido no me dejes de querer, ay, no me dejes...
(Sólo te pido no me dejes de querer)
no, no, no me dejes (de querer)

(G. Estefan, E. Estefan Jr, R. Blades)

Hablas de mí

Hablas de mí,
Y al oirte no puedo creer
Que estes hablando de mí
Hablas de mí,
Y al hacerlo tratas de ocultar
lo que he sido para ti
Yo que fui más que tu vida,
Yo que siempre te tenía
Tan seguro entre mis brazos;
Yo que cada noche daba,
La plenitud de mi alma,
Si es que tú lo pedías;
Hablas de mí,
No es posible alguien pueda creer
Lo que cuentas de nosotros;
Más si algo queda por dentro
Algo más que tu despecho
Se sincero ante ti mismo;
Y antes de hablar del passado
Piensa que tal vez un día,
Quieras volver a mi lado.

(Jorge Luis Piloto)



(

Mi buen amor

Hay amores que se esfuman con los años.
Hay amores que su llama sigue viva.
Los inciertos, que son rosa y son espina.
Y hay amores de los buenos, como tú.
Hay amores que se siembran y florecen.
Hay amores que terminan en sequía.
Los que traen desengaños en la vida.
Y hay amores de los buenos, como tú.
Mi amor, mi buen amor, mi delirio.
No pretendas que te olvide así, no más.
Que tu amor fue mar cuando sedienta.
Me arrimé a tu puerto a descansar.
Que tu amor, amor, sólo el que un día
en tu pecho, vida mía, me dio la felicidad.
Hay amores que nos llevan al abismo.
Hay amores que jamás se nos olvidan.
Los que dan toda ternura y fantasía.
Son amores de los buenos, como tú.
Mi amor, mi buen amor, mi delirio.
No pretendas que sea poco mi penar,
que tu amor fue luz de pleno día
cuando todo era oscuridad.
Que tu amor, amor sólo el que un día
en tu pecho, vida mía, me dio la felicidad
en tu pecho, vida mía, me dio la felicidad.

(Estefano)


Como m duele perderte

Como duele el día nublado
como el tiempo es tan pesado siiii
porque a diario pienso en ti
que bien grita el silencio
que bien duelen los recuerdos siiii
porque todo habla de ti
que delisia tu sensualidad
que locura cuando te sentia muy de cerca
y ahora que estas lejos hasta el universo ha muerto
como fue que tu dejaste de querer
y olvidaste del ayer
de nuestras miradas de nuestra piel
no te duele asi perder
lo que fue perfecto y acordado fiel
lo que me queda por decir
es como duele perderte hay hay hay
como me duele
que pequeno se hace el cielo
que umillante es el deseo siiii
porque ya no estas aqui
que sincero se hace el frio
como hiel mi sufrimiento
ya no se lo que es vivir
que delisia tu sensualidad
que locura cuando te sentia muy de cerca
y ahora que estas lejos hasta el universo ha muerto
como fue que tu dejaste de querer
y olvidaste del ayer
de nuestras miradas de nuestra piel
no te duele asi perder
lo que fue perfecto y acordado fiel
lo que me queda por decir
es como duele perderte hay hay hay
como me duele perderte
que delisia tu sensualidad
que locura cuando te sentia muy de cerca
y ahora que estas lejos hasta el universo ha muerto
como fue que tu dejaste de querer
y olvidaste del ayer
de nuestras miradas de nuestra piel
no te duele asi perder
lo que fue perfecto y acordado fiel
lo que me queda por decir
es como duele perderte hay hay hay
como me duele perderte.

(M. Flores)

Con los años que me quedan

Sé que aún me queda una oportunidad,
Sé que aún no es tarde para recapacitar,
Sé que nuestro amor es verdadero,
Con los años que me quedan por vivir
Demostrare cuanto te quiero.
Con los años que me quedan
Yo viviré por darte amor
Borrando cada dolor,
Con besos llenos de pasión,
Como te amé por vez primera
Con los años que me quedan
Te haré olvidar cualquier error
No quise herirte, mi amor
Sabes que eres mi adoración
Y lo serás mi vida entera.
No puedo imaginar vivir sin ti
No quiero recordar como te perdí
Quizás fué inmadurez de mi parte
No te supe querer
Y te aseguro que los años que me quedan
Los voy a dedicar a ti
Hacerte tan feliz
Que te enamores más de mí
Yo te amare hasta que muera
Como comprobar que no soy quien fui
El tiempo te dirá sí tienes fé en mí
Que como yo te ame
Más nadie,
Te podrá amar jamás
Dime que no es el final
Sé que aún me queda una oportunidad
Sé que aún no es tarde para recapacitar
Sé que nuestro amor es verdadero oohhh
Con los años que me quedan por vivir
Demostrare, cuanto te quiero.
Sé que nuestro amor es verdadero iiiiihhh,
Con los años que me quedan por vivir
Demostrare cuanto te quieroooo..
cuanto te quierooooo...

(Gloria Estefan & Emilio Estefan Jr.)

Blog Widget by LinkWithin