28 de jun de 2009

Um olhar sobre a glória e a tragédia de MICHAEL JACKSON



Michael Jackson representa o esplendor máximo da era das grandes estrelas do pop e ao mesmo tempo a sua maior e mais trágica decadência. Talentosíssimo cantor e bailarino, Michael se tornou também um grande compositor e produtor e entra para história como um artista completo e maravilhoso, e um ser humano frágil, solitário e infeliz.
Apaixonado pela cantora Diana Ross, Michael teve nela a sua maior inspiração, não só musical, mas até mesmo das incontáveis plásticas que fez e que tiveram nela o seu modelo inatingível. Com sua voz delicada e sua grande sensibilidade, Michael dissolveu as fronteiras entre homem e mulher, entre negro e branco, entre adulto e criança.
Como um popstar precoce, Michael não teve infância e nem adolescência, oprimido por um pai autoritário e muitas vezes brutal, que exigia o máximo dos filhos e especialmente do pequeno Michael. Em sua glória e tragédia se misturam inocência e perversão, popularidade e prestigio, fragilidade emocional e maturidade artística.
Para minha geração e as que vieram depois, Michael Jackson é a trilha sonora de nossa história. Com a ajuda do produtor Quincy Jones, estabeleceu novos patamares de qualidade e quantidade no mundo musical com a obra-prima “Thriller”, e mais dois grandes discos, “Bad” e “Dangerous”.
No Brasil, Michael era tão querido que, a partir do seu sucesso, muitos pais começaram a homenageá-lo batizando seus filhos como ‘Maicon’, que se tornou um dos nomes mais populares das novas gerações.
Entre nós, as suas músicas foram cantadas e dançadas nas favelas e nos condomínios, nas boates e nos bailões, nas casas e nas ruas, unindo as pessoas e levando alegria aos que hoje choram a sua partida.

(Nelson Mota para o Jornal da Globo)


27 de jun de 2009

Maltratar não é direito

Moço!
Maltratar não é direito
Essa mágoa no meu peito
Você sabe de onde vem
Isso é desamor
E não tem jeito
Um amor quando desfeito
Sempre faz alguém chorar
Eu chorei saudade
Tá doendo
E lá vem você querendo
Outra vez me maltratar...

Um amor só é bom
Quando é prá dois
Eterno é antes e depois
Agora não vou mais me enganar
Não quero mais sofrer, não dá
Se o teu desejo era me ver
Se deu vontade de saber
Se tô feliz
Até posso dizer que sim
O teu reinado acabou
Chegou ao fim
Eu não nasci prá você
Nem você prá mim...

Lalalaiá Lalalaiá...
Lalalaiá Lalalaiá...
Lalalaiá Lalalaiá...
Lalalaiá Lalalaiá...

(Arlindo Cruz / Franco)

Cara valente

Não, ele não vai mais dobrar
Pode até se acostumar
Ele vai viver sozinho
Desaprendeu a dividir

Foi escolher o mal-me-quer
Entre o amor de uma mulher
E as certezas do caminho
Ele não pôde se entregar
E agora vai ter de pagar com o coração

Olha lá, ele não é feliz
Sempre diz
Que é do tipo cara valente
Mas, veja só
A gente sabe
Esse humor é coisa de um rapaz
Que sem ter proteção
Foi se esconder atrás
Da cara de vilão
Então, não faz assim, rapaz
Não bota esse cartaz
A gente não cai, não

Ê! Ê!
Ele não é de nada
Oiá!!!
Essa cara amarrada
É só
Um jeito de viver na pior
Ê! Ê!
Ele não é de nada
Oiá!!!
Essa cara amarrada
É só
Um jeito de viver nesse mundo de mágoas

(Marcelo Camelo)

Muito pouco

pronto
agora que voltou tudo ao normal
talvez você consiga ser menos rei
e um pouco mais real
esqueça
as horas nunca andam para trás
todo dia é dia de aprender um pouco
do muito que a vida trás

mas muito pra mim é tão pouco
e pouco é um pouco demais
viver tá me deixando louco
não sei mais do que sou capaz
gritando pra não ficar rouco
em guerra lutando por paz
muito pra mim é tão pouco
e pouco eu não quero (mais)

chega!
não me condene pelo seu penar
pesos e medidas não servem
pra ninguém poder nos comparar
por que
eu não pertenço ao mesmo lugar
em que você se afunda tão raso
não dá nem pra tentar te salvar

...veja
a qualidade está inferior
e não é a quantidade que faz
a estrutura de um grande amor
simplesmente seja
o que você julgar ser o melhor
mas lembre-se que tudo o que começa com muito
pode acabar muito pior

(Moska)

24 de jun de 2009

So in love (2)



Strange dear, but true dear
When I'm close to you, dear
The stars fill the sky
so in love with you am I
Even without you
My arms fold about you
You know darling why
So in love with you am I
In love with the night mysterious
The night when you first were there
In love with my joy delirious
When I knew that you could care
So taunt me, and hurt me
Deceive me, desert me
I'm yours, till I die...
So in love... So in love...
So in love with you, my love... am I...

(Cole Porter)


-----------

E não há mais linda e mais triste. E k.d. lang é perfeita.

23 de jun de 2009

Everybody's gotta learn sometime

Change your heart
Look around you
Change your heart
It will astound you

I need your loving like the sunshine
And everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime

Change your heart
Look around you
Change your heart
It will astound you

I need your loving like the sunshine
And everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime

Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime

(J. Warren)
The Korgis

Beck

(Eternal Sunshine of the Spotless Mind )

22 de jun de 2009

One For My Baby (And One More For The Road)

It's quarter to three, there's no one in the place except you and me
So, set 'em up, Joe, I got a little story you oughta know
We're drinkin', my friend, to the end of a brief episode
Make it one for my baby and one more for the road

I got the routine, so drop another nickel in the machine
I'm feelin' so bad, wish you'd make the music pretty and sad
Could tell you a lot, but you've got to be true to your code
So, make it one for my baby and one more for the road

You'd never know it but buddy, I'm a kind of poet
And I got a lot of things to say
And when I'm gloomy, you simply gotta listen to me
Till it's all talked away

Well that's how it goes and Joe, I know your gettin' pretty anxious to close
So, thanks for the cheer, I hope you didn't mind my bendin' your ear
This torch that I found must be drowned or it soon might explode
So, make it one for my baby and one more for the road
That long, long road

(Lyrics by: Johnny Mercer / Music by: Harold Arlen)






21 de jun de 2009

DIANNE REEVES - Excelente!!!

Nada mais a dizer, a Dianne realmente é fantástica. Tecnicamente perfeita, simpática, linda... Ela encerrou o espetáculo cantando sem microfone no bis. Já havia assistido Elza Soares fazer isso, mas eu estava próximo ao palco; com a Dianne eu estava mais distante, mas a voz dela chegou perfeita. Como sempre.

Coloquei algumas fotos no meu álbum:
http://www.orkut.com.br/Main#Album.aspx?uid=17219254533337030480&aid=1245551067

Tô "subindo" uns vídeos pro Youtube.

======

"Dianne Reeves é cantora, o resto é estagiária"
20/06/2009 - Teatro do Bourbon Country - Porto Alegre/RS

======












========

20 de jun de 2009

Melody Gardot






Birds may cease to spread their wings
But it don't matter
But it don't matter
When does May envelop spring
But it don't matter
But it don't matter, cuz
When I'm with you
My whole world stands still
You're my one and only thrill

Ships may never leave the dock,
But it don't matter
But it don't matter
Tics may never hear a toc
But it don't matter
But it don't matter, cuz
When I'm with you
My whole world stands still
You're my one and only thrill

{Instrumental}

Shores may never reach the tide
But it don't matter
But it don't matter
Buds may never open wide
But it don't matter
But it don't matter, cuz
When I'm with you
My whole world stands still
You're my one and only thrill
You're my
You're my

You're my one and only
... Thrill


-------------

MUITO ENCANTADO!


12 de jun de 2009

Futuros amantes

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar

E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos


Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização


Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você

(Chico Buarque)



9 de jun de 2009

O motor da luz

Quem desligou o mortor da luz?
Ai, que aperto no meu coração!
O meu bem foi-se embora
E na noite lá fora
O mar agora só me diz não
Ai de quem vive na escuridão
Nunca vê o clarão de um prazer
Vida sem liberdade
Sombra de uma saudade
Resta uma só vontade: morrer
Sem amor onde é que eu vou chegar,
Se é o amor que nos guia e conduz?
Nunca andei tão perdida
Será minha esta vida?
Quem desligou o motor da luz?

(Caetano Veloso)

Coraçãozinho

Não sei onde aprendi a cantar
Só sei que não consigo esquecer
Cantiga vem do céu
Vem do mato e vem do mar
Faz o meu coraçãozinho doer

(Caetano Veloso)

3 de jun de 2009

Eu espero

Vai sim, vai ser sempre assim
A sua falta vai me incomodar,
E quando eu não agüentar mais
Vou chorar baixinho, pra ninguém ouvir.
Vai sim, vai ser sempre assim,
Um pra cada lado, como você quis
E eu vou me acostumar,
Quem sabe até gostar de mim.
Mesmo que eu tenha que mudar
Móveis e lembranças do lugar,
O meu olhar ainda vê o seu
Me devorando bem devagar.
Vem, que eu ainda quero, vem.
Quando menos espero a saudade vem
E me dá essa vontade, vem
Que eu ainda sinto frio
Sem você é tudo tão vazio
Vem me dar essa vontade,
Vem que esse amor ainda é meu.
Troco todos os meus planos por um beijo seu
E essa noite pode terminar bem.

(Luiza Possi e Dudu Falcão)

Blog Widget by LinkWithin