24 de mai de 2014

Mônica Salmaso - Noite


A solidão num bar a noite quente
o tédio sufocante
um gesto descuidado
a frase inconsequente
um riso provocante
no rosto um desafio
o olhar macio e imprudente
seu jeito de criança entrando em minha vida imperiosamente

o anseio arrebatado e torturante
o corpo impaciente
a boca incendiada
o seio palpitante
o beijo incandescente
o coração descompassado suplicante
um fogo ardendo furiosamente
e o gosto inebriante de um desejo urgente e devastador

a entrega obediente sempre vem
o ardor dilacerante
a alma adolescente
o abraço alucinado
um grito triunfante
um louco desvario a paz chegando de repente
e o pulso latejante da paixão febril cravada no meu ventre

no fim a despedida e o vazio doendo persistente
me vi por toda vida num silêncio frio ao te lembrar ausente
e ainda que esta noite esteja tão distante a dor me faz lembrar inutilmente
que fui por um instante tua para sempre amor..

Nelson Ayres



Nenhum comentário:

Blog Widget by LinkWithin